Estudo comprova que ADSL no Brasil é uma caca

12 setembro 2008, sexta-feira.

Uns caras da Saïd Business School na University of Oxford e da University of Oviedo’s Department of Applied Economics fizeram um estudo em 42 países para determinar a qualidade das conexões da internet e a capacidade desses países aproveitarem o futuro da grande rede.

Surpresa! O Brasil não é o último da lista! Estamos na frente da índia, China, México e Chipre, e atrás de todo o resto do mundo. Os caras foram bonzinhos assim porque não devem ter testado a ADSL da Brasil Telecom, senão estaríamos em último, definitivamente.

O Japão é o único país do mundo que tem internet que presta, estando pronto para o futuro.

De acordo com os pesquisadores, quase metade dos países estudados têm uma internet decente para os padrões atuais, mas para os próximos 2 ou 3 anos essa mesma internet não vai ser suficiente. Eles dizem que para esse futuro precisaríamos de conexões de 11 Mega (!!). Orra, e pensar que o Japão já tem esse tipo de conexão…

Mas daí, continuando a ler a notícia, tudo fica claro. Um dos fatores que influenciam nessa qualidade é a educação. Pronto. Explicado. Caso encerrado.

Study: Japan set for broadband future; everyone else screwed

Anúncios

O que fazer com um Wiimote

21 dezembro 2007, sexta-feira.

Só uma coisa a dizer: genial!

Resumindo, se você não entende muito inglês: o cara pegou uma caneta, colocou um emissor de infravermelho na ponta, pegou um wiimote apontando pra uma imagem de projetor, escreveu um software para juntar tudo e fez uma daquelas telas gigantes interativas, usando a caneta como mouse direto na parede!

Não entendeu? Veja o vídeo.

TENHO que tentar isso aqui em casa!


Matem o leopardo!

27 outubro 2007, sábado.

Impressionante como tem coisas que são EXTREMAMENTE recorrentes nos blogs da vida.

Não aguento mais ler sobre o Leopard, nova versão do sistema operacional para Macs, e sobre o Gmail implantar IMAP.

Matem o leopardo! E enterrem junto com o IMAP do Gmail.


Nokia faz recall de baterias

15 agosto 2007, quarta-feira.

Chupinhando, na cara dura, o texto do Rigues:

A Nokia emitiu um comunicado alertando para um problema com 46 milhões de baterias modelo BL-5C, usadas em 52 modelos de telefones celulares, produzidas entre Novembro de 2005 e Novembro de 2006 pela Matsushita (Panasonic). A empresa alerta que sob “raras cinrcunstâncias” as baterias podem superaquecer e inchar, embora não haja perigo de explosão. Em 100 incidentes reportados , não houve nenhum caso de dano pessoal ou à propriedade.

Para saber se a bateria de seu celular é afetada, a Nokia disponibilizou um site com uma ferramenta de consulta. Basta digitar o número de série para obter uma resposta. Em caso positivo, a empresa realizará a troca gratuita da bateria defeituosa. A Nokia também colocou em operação um número de telefone, 0800 770 1282 (alternativas 4003-2525 e (11) 5681-3333) para esclarecer dúvidas dos consumidores.

Abri meu celular e BINGO, uma BL-5C. Mas pelo número de série ela não é uma das 42 milhões de baterias que serão trocadas. Só um detalhe: se você digitar o número de série errado no site, ele não vai apontar seu erro, apenas vai dizer que a sua bateria não será trocada. Então, preste atenção na hora de digitar.


Ponte de água

20 junho 2007, quarta-feira.

Essa recebi por email, e obviamente fui dar uma pesquisada básica.

Ponte de água

É uma ponte de água, na Alemanha, que liga dois importantes canais: o Elba-Havel e o Mittelland, passando por cima do próprio rio Elba.

Não consegui entender o sentido dessa ponte, pra falar a verdade. Na Wikipedia, por exemplo, diz que a ponte economiza tempo das embarcações, já que antes tinham que dar uma volta de 12km para chegar de um canal ao outro. Ok, até aí tudo bem, compreensível. Mas pra que uma ponte de um rio sobre outro rio? Só posso achar que é problema de tráfego.

Sim, porque se as águas dos dois canais já são interligadas (pois os navios já podiam ir de um canal para outro), não deveria haver questões ambientais em juntar toda essa água num cruzamento. Então, para evitar a colocação de semáforos para navios, resolveram construir um viaduto.

A tal ponte, que tem um nome impronunciável, como tudo em alemão, permite que navios maiores façam essa passagem de um canal para outro, já que ela é em linha reta e tem uma profundidade maior que o caminho antigo.

Custou a bagatela de meio bilhão de Euros, e foi planejada já em 1919, mas só foi terminada depois da unificação das Alemanhas.

Links:
Google Maps: A Ponte de Água
Wikipedia (em inglês): Magdeburg Water Bridge


MGS4 pro 360? E daí?

30 maio 2007, quarta-feira.

Correm rumores de que alguém que serve cafezinho para a equipe que limpa a sala onde os estagiários de programação do Hideo Kojima jogam dominó ouviu falar que vai sair Metal Gear Solid 4 para Xbox360. Eu me pergunto: E daí?

Daí que tem fanboy louco, pulando pelas ruas pelado gritando que “o 360 é melhor porque vai sair o MGS4 pra ele! Uhu!”

Vamos analisar a situação: Primeiro, o fato de ter tanta gente assim fazendo festa em cima de um jogo de outra plataforma já deveria ser um indicativo que tem algo de errado com os usuários do 360, ou com o próprio sistema em si, ou com os jogos que saem para ele.

A minha impressão é que os americanos só querem saber de ganhar dinheiro, e só lançam coisa que sabem que vai dar grana, ou que sabem que o prejuízo vai ser o mínimo.

Acho que a japonesada tem mais “peito” pra encarar um jogo diferentão, de lançar jogos mais experimentais, de tentar a sorte mesmo. No caso do Xisboco o pessoal prefere investir em gêneros já consagrados, que sabem que vão vender. Por isso que ficam tudo excitados se qualquer um lança um boato de que FF ou
Zelda ou Mario ou MGS ou (coloque o nome do jogo preferido de qualquer outro console aqui) vai ser lançado para Xbox.

Agora pegue qualquer jogador de Nintendo, por exemplo, e diga pra ele que vai sair Halo pro Wii. O cara nao vai dar a mínima. Diga pra um jogador de PS3 que vai sair Gears of War pro PS3, e ele não vai nem ligar. Por que são públicos diferentes, só por isso. Mas diga pra um fanboy do Xbox que vai sair Final Fantasy pro 360 e ele fica louco, mas não porque o jogo é bom ou mesmo porque ele sempre quis jogar, mas só porque os fans da MS gostam de achar que o console deles é melhor só porque vão lançar todos os jogos do mundo pra ele um dia. O pior é que acho que a maioria dos jogadores de 360 nem curtem a série Metal Gear, ou mesmo a Final Fantasy, mas ficam todos excitados dizendo “meu console é melhor que o teu porque sai tudo que é jogo pra ele”.

Pode sair até Mario pro 360. A experiência não é a mesma, para o jogador. Quem já usou emulador sabe disso. Já joguei o MG no PC, em emuladores de MSX, e até mesmo a versão para PC do MGS, e não gostei. Estou jogando MGS no PSX, e a experiência É OUTRA. Aposto que se sair MGS4 pra 360 o povo nem vai jogar. E sabe porque? Porque todos os sites de review de jogos pro 360 vão falar mal dele, e não vão nem querer saber dele. Não que o jogo seja ruim. Mas vai ser ruim para jogadores do 360, que são seguidores dos padrões americanos da indústria de videogames (note que isso não é uma crítica, mas sim uma observação. Eu mesmo, desde meus tempos de MSX, sou seguidor do padrão japonês dessa mesma indústria, e não nego).


Videogame de 3a. geração? Qual?

28 fevereiro 2007, quarta-feira.

Como disse um amigo meu, e eu concordo inteiramente com ele, o Wii trouxe algo que há muito não se via no mercado de Video Games: inovação. TODO Video Game das gerações anteriores tinha o que a mais? Gráficos e processamento. Essa nova geração também. Nada de novo. O Wii veio e mudou a forma como interagimos com os jogos. Ponto pra ele. Os controles são os mesmos desde o tempo do Atari 2600: botões e alavancas, com um ou outro cosmético (vibração, luzes, etc), mas continuam sendo botões e alavancas.

Uma pequena busca no YouTube por “Wii Sports” pode mostrar porque a Nintendo revolucionou. Basta pensar que, agora, para divulgar um vídeo de algum jogo é necessário incluir cenas dos próprios jogadores, coisa até então nunca dantes vista. É o jogador tomando, realmente, o controle do seu video game.